A Tesla e a picape de vidros blindados que quebram

25 Nov , 2019 Análise de Mídias,comunicação,Concorrência,imagem,Marketing,Redes Sociais,Tecnologia,Virais


Foto: AP
Bette Romero

O lançamento da nova Cybertruck, picape elétrica da Tesla, no dia 21/11, tinha tudo para ser um evento memorável na história da empresa. E foi. Mas não como ela gostaria. O novo veículo, futurista, inovador e tão seguro que o CEO da Tesla, Elon Musk, garantiu que resistiria até a uma explosão nuclear, foi apresentado na sede da empresa, em Los Angeles, para fãs e jornalistas, em transmissão ao vivo, em nível mundial.
Porém, apesar de toda a tecnologia empregada, o seu vidro blindado, o Tesla Armor Glass, se espatifou. A tão esperada apresentação se reduziu aos poucos segundos durante os quais um assistente de Musk atira bolas de metal contra os vidros blindados e eles quebram sob o impacto.
O incidente lembra o ocorrido com o Classe A, da Mercedes Bemz. Lançado na Alemanha, em 1997, durante o test drive de apresentação aos jornalistas, o carro, lançado como modelo de estabilidade, capotou em uma das curvas do circuito automobilístico.
Mico Mundial e Credibilidade
O episódio da Tesla não produziu apenas um vexame. O rompimento dos vidros blindados mostrou a fragilidade do produto e colocou em xeque a imagem e, principalmente, a credibilidade da empresa e de seus produtos.
Em tempos de concorrência feroz, transparência e notícias com a velocidade da luz, imprevistos como este exigem não só uma resposta rápida, mas ações mais rápidas ainda. É preciso restabelecer a imagem e a confiança de fãs, de consumidores e da opinião pública, de forma a garantir que o produto merece ser comprado e utilizado sem risco.
A saída para um imbróglio como este é justamente a verdade: ter a humildade de reconhecer o problema publicamente. Pode parecer pouco, mas assumir a falha é um compromisso implícito na busca de sua solução. Após o capotamento, a Mercedes Benz promoveu uma reavaliação de todo o sistema de suspensão da linha Classe A antes de recolocá-lo no mercado. Já o caso da picape Cybertruk, na apresentação malsucedida, Musk teve uma reação bem-humorada: garantiu que “ainda há espaço para melhoria”.
Espera-se que, pelo bem da imagem da empresa e pelo consumo de seus veículos, estas melhorias sejam muito rápidas e eficientes.
Se você quer saber como está a imagem da sua empresa ou do seu cliente, visite o Sistema de Análise de Mídia: http://www.background.com.br/analise-de-midias-sociais/
Bette Romero é jornalista, professora, Mestre em Educação e Diretora da Background Maxx Comunicação, agência especializada em análise de imagem nas mídias. E-mail: better@background.com.br/ Linkedin e Facebook: Bette Romero Burlamaqui/Twitter: @bette_romero, Instagram: betteromero16
#crise #imagem #comunicação #backgroundmaxx


Comments are closed.

Assine nossa newsletter